Bolsonaro anuncia economia de R$ 10,5 bi em 2020 com cortes nos salários dos servidores!

Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados.
Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados.

Economia | Medida é drástica e depende de aprovação da PEC Emergencial no Congresso.

COMPARTILHE!

BlOG DO POVO / As previsões para 2020 não são nada boas para o funcionalismo público do País. Em continuidade à política de desmonte do Estado brasileiro, o presidente Bolsonaro e sua equipe econômica anunciam — segundo matéria exclusiva de ontem (14) do Globo — uma economia de R$ 10,5 bi no próximo ano apenas com o corte de 25% nos salários dos servidores. Medida é parte da PEC Emergencial que o governo quer aprovar no Congresso ainda este ano. Drástica redução salarial é acompanhada de diminuição proporcional na jornada de trabalho e deve durar dois anos. Continua, após o anúncio.

Bilhões

Segundo ainda a matéria do Globo, "a economia prevista com a PEC [Emergencial] é de R$ 12 bilhões em 2020 e de R$ 14 bilhões em 2021. No próximo ano, além da economia prevista com a redução de jornada, há uma folga prevista de R$ 1,5 bilhão com a paralisação nas progressões automáticas de servidores."

"Servidor apoia"

De acordo com Waldery Rodrigues — secretário de Fazenda do Ministério da Economia — não há riscos de paralisações no setor público por conta das reduções de salário e jornada. "Em parte, a redução de jornada é desejada por alguns servidores", disse o assessor, segundo também o Globo. Continua, após o anúncio.

Desculpas

O governo dá as desculpas de sempre e diz que as medidas visam "modernizar" a economia, moralizar as contas públicas e outras lorotas mais. Na verdade, o que querem mesmo é desmontar o Estado brasileiro para favorecer privatizações e fazer mais caixa para pagar juros da dívida pública junto a agiotas nacionais e estrangeiros.

COMPARTILHE!

Acompanhe nossas redes sociais e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre Economia:

Mais recentes do site: