R$ 6,1 milhões | Fiscalização diz que Bolsonaro usa e abusa do cartão de crédito da Presidência! Veja...

Quem acreditou em "nova política" e fim da mamata, quebrou a cara. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.
Quem acreditou em "nova política" e fim da mamata, quebrou a cara. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Há saques em dinheiro e casos em que nome do favorecido é oculto. 

Categoria: Bozos | Segundo matéria de ontem (4) assinada pelo jornalista Lúcio Vaz — do Gazeta do Povo"Os gastos relacionados às atividades do presidente da República e com a segurança dos seus familiares estão sob sigilo e não obedecem aos limites impostos para o uso dos cartões corporativos do governo federal. O blog identificou pagamentos da Secretaria de Administração da Presidência em valores de R$ 68 mil, R$ 70 mil e R$ 79 mil, muito acima do limite de R$ 33 mil nas compras normais." Lúcio Vaz comanda "o blog que "fiscaliza o gasto público e vigia o poder em Brasília." Continua, após o anúncio.

R$ 6,1 milhões

Diz ainda o jornalista que "o presidente Jair Bolsonaro quer abrir a caixa-preta do BNDES, mas mantém em segredo mais de dois terços das informações sobre gastos com cartões corporativos do governo federal (cerca de R$ 13,5 milhões no primeiro semestre deste ano), seguindo práticas de administrações anteriores. Além do sigilo, há casos de saques em dinheiro e casos em que não é informado o nome do favorecido. Só a Presidência da República registrou despesas de R$ 6,1 milhões." Continua, após o anúncio.

Cartão compra quase tudo

Lúcio Vaz afirma também:

"O cartão de pagamento do governo federal, na forma de cartão de crédito, paga despesas eventuais de pequeno valor, que exigem pronto pagamento, e também compras em caráter sigiloso. Na prática, esses cartões podem comprar quase tudo, como combustível, passagens aéreas, medicamentos, material para construção, material impresso, etc. Também podem ser usados em restaurantes e para compras em supermercados e padarias.

Pois é. Quem acreditou em "nova política" e fim da mamata, quebrou a cara.

Mais recentes: