No Globo, experiente cientista político diz que economia piorou e Bolsonaro pode não terminar o mandato!

COMPARTILHE!

Bozos / "Bolsonaro prometeu uma mudança instantânea, gerou uma expectativa muito difusa e produziu frustração por causa do amálgama [mistura] muito disforme do eleitorado que o elegeu."

BLOG DO POVO / O cientista político Sérgio Abranches, criador do termo 'presidencialismo de coalizão', deu entrevista exclusiva para assinantes do Globo (24) onde diz que o presidente Jair Bolsonaro pode não terminar seu mandato. Abranches argumenta que a economia do País piorou e que "Bolsonaro prometeu uma mudança instantânea, gerou uma expectativa muito difusa e produziu frustração por causa do amálgama [mistura] muito disforme do eleitorado que o elegeu." Continua, após o anúncio.

Leia também:

Trechos da entrevista:

O Globo: A que o senhor atribui a queda de popularidade do governo?

Sérgio Abranches: Bolsonaro prometeu uma mudança instantânea, gerou uma expectativa muito difusa e produziu frustração por causa do amálgama muito disforme do eleitorado que o elegeu. Uma parte grande queria alguém que fosse o anti-PT. Hoje esses olham o caso Flávio Bolsonaro e falam "qual é a diferença?". Por outro lado, a situação econômica piorou. Embora a inflação tenha caído, o desemprego persistiu, portanto, a renda real continua muito baixa. E as pessoas querem um alívio imediato.

O Globo: Essa frustração ameaça o futuro do governo?

Sérgio Abranches: Se olharmos o modelo que organizou a política brasileira desde a Constituição de 1988, Bolsonaro precisa de uma coalizão no Congresso, uma articulação política eficiente, uma pauta substantiva que gere também mudanças de curto prazo. Ele não está cumprindo nenhuma dessas condições. Portanto, por esse modelo, o governo não vai dar certo e não vai terminar o mandato.

COMPARTILHE!

Acompanhe nossas redes sociais e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre Política

Mais recentes do site: