'Maus exemplos' | Senadoras que propõem demitir servidores públicos com fraco desempenho têm "fichas ruins"! Veja...

Maria do Carmo Alves falta e não tem nenhum desconto de salários. E Selma Arruda — conhecida como "Moro de saias" — é acusada de omitir R$ 1,2 milhão usado na campanha de 2018  

Categoria: POLÍTICA | As senadoras Maria do Carmo Alves (DEM-SE) e Juíza Selma Arruda (PSL-MT) estão à frente do PLS 116/2017, que institui Avaliação Anual de Desempenho para os servidores públicos dos três poderes da União, estados e municípios. As duas, no entanto, segundo postagens da 'grande mídia', têm "fichas ruins". Uma é 'faltosa'. E a outra, acusada de caixa 02. Ver detalhes a partir do 3º parágrafo desta matéria.

Maria do Carmo Alves é a autora do tal PLS, e a Juíza Selma Arruda — conhecida como "Moro de saias" — é a atual relatora da medida e prega urgência em sua aprovação. As duas são apoiadoras do governo Bolsonaro. O projeto que defendem prevê demissão até de servidor concursado e estável que tiver 'desempenho fraco' por conta de problemas de saúde.

Leia também:

Publicidade

Faltosa

Segundo o G1 (15/10/2017): "A autora do projeto que permite demissão de servidor público estável por "insuficiência de desempenho", a senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE) não participou de 60% das votações nominais no Senado em 2017."

"Recebeu sem trabalhar"

Diz mais o G1: "Mesmo sem participar de 60% das votações, Maria do Carmo Alves marcou presença em todas as sessões onde houve registro de voto. Dessa forma, evitou que houvesse descontos em seu salário em todos os meses do ano."

Desculpas

Segundo ainda o G1: "Procurada, a senadora disse, por meio de nota, que suas ausências 'em algumas votações são motivadas pelo recebimento de pessoas no gabinete, pela participação em atividades externas ou por alguma necessidade pessoal.'" Continua, após o anúncio.

Juíza Selma

Em relação à senadora Juíza Selma Arruda, o mesmo G1 afirma, em 25/07/2019: "De acordo com o Ministério Público Eleitoral, Selma Arruda omitiu na prestação de contas R$ 1,2 milhão usado na campanha de 2018, o que, se confirmado, configura caixa 2 e abuso de poder econômico."

O G1 destaca também: "O conjunto de provas contra a senadora [Selma Arruda] é avassalador. É impossível entender que ela não praticou o caixa 2 e o abuso de poder econômico", disse o advogado José Eduardo Cardozo." Cardozo atua no processo contra a parlamentar. Continua, após o anúncio.

Defesa

A senadora Selma Arruda e sua defesa dizem que provarão que ela não cometeu nenhuma irregularidade no pleito eleitoral de 2018. Caso isto não se confirme, a parlamentar perderá o mandato.

Aprovação

O PLS 116/2017 foi aprovado na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado no início deste mês de julho. Agora deve ir em caráter de urgência para votação em Plenário, como quer a senadora juíza Selma Arruda, a "Moro de saias". Após o anúncio, veja infográfico com teor do projeto.

Mais recentes: