Dez medidas | Projeto da própria Lava Jato pode levar Moro e Deltan à prisão! Confira...

Justiça | Sérgio Moro e Deltan Dallagnol criaram projeto com dez medidas supostamente contra a corrupção para, na prática, legalizar os crimes que cometeram na Lava Jato. Mas uma dessas medidas poderia levar os dois à prisão.

COMPARTILHE!

O ex-juiz Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e outros procuradores lavajateiros criaram um projeto que legalizava provas ilícitas. O objetivo real era legitimar ações criminos praticadas no âmbito da Lava Jato, como por exemplo o grampo criminoso que fizeram contra a presidenta Dilma Rousseff (PT). 

Na prática, esse medida legaliza todas as denúncias expostas pelo The Intercept Brasil contra o próprio Moro, Deltan e outros procuradores, o que pode fazer com que sejam exonerados dos seus cargos ou cumpram até mesmo alguns anos de prisão. Continua, após o anúncio.

Como todos sabem, a principal tese do atual ministro da "justiça" e de Deltan para rejeitar as informações divulgadas pelo jornalista Glenn Greenwald é de que foram colhidas de forma ilegal, algo que o projeto da Lava Jato criado por eles mesmos torna lícito. 

Dois pesos e duas medidas

Matéria publicada hoje (6) no Globo mostra que Rodrigo Maia desmascarou Sérgio Moro, Deltan e procuradores quanto a essa questão de usar provas ilícitas quando são convenientes a eles mesmos. Maia falou, segundo o jornal dos Marinhos:

"— Naquelas dez medidas (contra corrupção) nós rejeitamos a prova ilícita de boa fé. Hoje eles criticam a prova ilícita de boa fé no caso do Intercept. Você vê como são dois pesos e duas medidas que, se nós tivéssemos feito o que eles gostariam, hoje eles eram réus, não eram procuradores, e ele [Sérgio Moro] não era ministro da Justiça - disse à "Folha de S. Paulo". 

Em síntese: Moro, Deltan e turma da Lava Jato foram salvos pelos políticos que eles chamam de corruptos.

Acompanhe nossas redes sociais e receba atualizações sobre este e outros temas de interesse social!

Mais recentes sobre Justiça

Mais recentes do site: