Oportunista | Ciro acusa Lula, mas puxou o saco de Bolsonaro quando poderia tê-lo destruído! Assista...

Ciro deixou deliberadamente passar oportunidade de ouro para destruir Bolsonaro. Preferiu puxar o saco do capitão e foi ironizado.
Ciro deixou deliberadamente passar oportunidade de ouro para destruir Bolsonaro. Preferiu puxar o saco do capitão e foi ironizado.

Categoria: Ciro Gomes | O ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE) continua a atacar e acusar o ex-presidente Lula. Durante entrevista ontem (11) ao jornalista Kennedy Alencaro pedetista criticou a campanha "Lula Livre" e disse que o petista não tem "nada de inocente". No entanto, quando teve a chance real de destruir Bolsonaro, Ciro fez foi puxar o saco do capitão, conforme se percebe no vídeo ao final da matéria.

"Estimado colega"

Em 9 agosto de 2018 ocorreu na Band o primeiro debate entre os candidatos a presidente. Foi o único em que Bolsonaro participou. Ciro Gomes teve a oportunidade de fazer uma pergunta ao hoje presidente. Com a eloquência que tem e a sapiência que imagina ter, Ciro poderia simplesmente ter destruído o capitão. 

Mas o pedetista optou por puxar o saco do fascista. Logo na abertura de sua pergunta chamou Bolsonaro de "estimado colega de Câmara". Estimado colega de Câmara? Como alguém que se diz sério pode estimar um deputado que passou quase 30 anos de mandato sem dar um prego numa barra de sabão? Continua, após o anúncio.

Como alguém pode estimar um sujeito que atacou mulheres no parlamento e defendeu fuzilar até o ex-presidente FHC, que já foi inclusive colega de partido do próprio Ciro? Só mesmo o Ciro poderia estimar Bolsonaro.

Bolsonaro ironizou o babão e xingou os brasileiros

A pergunta super gentil de Ciro foi sobre o que Bolsonaro achava da proposta de ajudar milhões de brasileiros a quitar dívidas para sair do SPC/Cerasa. O fascista respondeu rindo que a culpa dos endividamentos era do PT e que muitos brasileiros não pagam suas contas porque são bandidos. Continua, após o anúncio.

Concordância

Ciro concordou com Bolsonaro sobre a questão do PT e disse que o governo Dilma foi um desastre, embora, para que sua aliança discursiva com Bolsonaro não ficasse muito escancarada, reconheceu que a ex-presidente não é ladra. O ex-ministro, no entanto, nada disse sobre Bolsonaro ter chamado brasileiros endividados de bandidos. Ciro não queria desagradar o capitão e também concordou com ele nesse aspecto.

Bolsonaro, muito feliz, fechou o bloco com Ciro novamente ironizando o pedetista. Disse inclusive que o ex-ministro tinha solução simplista para o problema que levantara. Em síntese: o que deveria ter sido um massacre em cima do capitão acabou sendo um presente dado por Ciro a Bolsonaro. Após o anúncio, veja o vídeo. Na sequência, no mesmo debate, veja como Guilherme Boulos tratou o fascista.

Mais recentes sobre Ciro:

Mais recentes do site: