Reforma | Idade mínima para professoras e caso de quem entrou antes de 2003 podem mudar! Veja...

Presidente Bolsonaro e Paulo Guedes, ministro da Economia. Foto: Agência Brasil.
Presidente Bolsonaro e Paulo Guedes, ministro da Economia. Foto: Agência Brasil.

Protestos e Greve Geral podem derrubar reforma

Categoria: Economia | Protestos, Greve Geral do Dia 14 e alta rejeição do povo em relação ao governo podem derrubar a reforma da Previdência proposta por Jair Bolsonaro e seu ministro Paulo Guedes. É o que aponta matéria de hoje (4) de O Globo.

Leia também: STF decide na quinta (6) sobre redução nos salários de servidores públicos de todo o país!

Professoras

Pelo projeto do governo, professoras e professores só poderão se aposentar com no mínimo 60 anos de idade, o que implica — no caso das mulheres — em aumento de uma década a mais de sala de aula. Segundo o jornalão dos Marinhos, no entanto, o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) — relator do projeto de reforma  — "Vai reduzir para 57 anos a idade mínima de aposentadoria das professoras." Não deixa de ser um avanço, embora pequeno. E Se a Greve Geral do Dia 14 for expressiva, a idade mínima de todo mundo fica do jeito que está. Após o anúncio, ver outros pontos da reforma que podem ser derrubados.

Quem entrou antes de 2003

O Globo diz também que os servidores públicos que entraram antes de 2003 podem também ser contemplados com emendas que suavizam a proposta do governo.  Pelo que propõem Bolsonaro e seu ministro da Economia, os que entraram antes de 2003 podem ter acréscimo de até 10 anos de serviço (mulheres) ,e 14 anos (homens) para ter direito a integralidade e paridade salarial. Relator da reforma e técnicos do governo, no entanto, já admitem que esses servidores continuem se aposentando com pouco mais de 50 anos, em condições mais vantajosas em relação aos demais trabalhadores."

BPC

O Globo diz ainda que: "Também está certo que o relatório vai excluir das mudanças o Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos e deficientes da baixa renda. Governo quer rebaixar benefício para R$ 400,00. Mas valor deve permanecer em um salário mínimo.

É fortalecer a Greve Geral que a reforma cai por completo!

Mais recentes: