"Farmacinha" | Na PGR, Janot diz que tinha vinho, cerveja, uísque, pinga, vodca, rum etc! Veja...

COMPARTILHE!

Rodrigo Janot, ex-procurador geral da república, gostava de uma 'farrinha' na PGR. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.
Rodrigo Janot, ex-procurador geral da república, gostava de uma 'farrinha' na PGR. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

Categoria: Política | "Tornei-me um ébrio e na bebida busco esquecer." Este é o verso inicial do clássico O Ébrio, do cantor Vicente Celestino. O renomado artista fala em sua música que usava a bebida para esquecer "Aquela ingrata que eu amava e que me abandonou." 

No livro que lançou contando suas memórias, o ex-procurador geral da república Rodrigo Janot conta que também usava a farta bebida que mantinha numa geladeira ao lado do seu gabinete na PGR. Só que por outras razões. Continua, após o anúncio.

"Farmacinha"

Sobre bebida que Janot mantinha ao lado do seu gabinete na PGR, diz matéria da Folha de S.Paulo (28/08):

Nos momentos mais tensos à frente da PGR, Janot conta [em seu livro de memórias] que interrompia o trabalho e convocava a equipe para a "farmacinha", como chamava uma geladeira que mantinha ao lado do gabinete abastecida com vinho, cerveja, uísque, cachaça, rum, vodca, gim etc.

"Na hora do aperto, quando a turma estava arrancando os cabelos, a farmacinha cumpria uma função terapêutica", escreve.

Segundo Janot, ele engordou quase 30 quilos, fez dois cursos de tiro e passou a andar armado, com uma pistola .40 na cintura. Continua, após o anúncio.

Tiro na cara

Janot virou assunto nacional após declarar à revista Veja que planejou dar um tiro na cara de Gilmar Mendes, ministro do STF:

"Naquele dia, cheguei ao meu limite. Fui armado para o Supremo. Ia dar um tiro na cara dele [Gilmar] e depois me suicidaria. Estava movido pela ira. Não havia escrito carta de despedida, não conseguia pensar em mais nada. Também não disse a ninguém o que eu pretendia fazer." 

O que Janot agora poderá fazer?

Mais recentes sobre política:

Mais recentes do site: