Governo quer barrar verbas de estados e municípios que não punirem professores!

Educação | A ideia é punir docentes avessos às ideologias do governo federal. Bolsonaro quer usar prefeitos e governadores no projeto.

COMPARTILHE!

BlOG DO POVO / O governo Bolsonaro, segundo matéria da Folha de S.Paulo (20), anunciou mais uma medida que atinge professores de todo o País. Os efeitos de tal iniciativa tendem a piorar ainda mais a vida dos mestres nas escolas e salas de aula. Ideia do Planalto é criar canais de denúncias contra os docentes e barrar verbas de estados e municípios que não punirem educadores avessos às ideologias do governo federal. Continua, após o anúncio.

Canais de denúncias

O plano de Bolsonaro — baseado no projeto Escola sem Partido — tem como eixo uma central denúncias de alunos contra docentes. A diferença é que no Escola sem Partido os estudantes são instruídos a dedurar os mestres às secretarias de Educação de estados e municípios. No projeto do capitão, canais de denúncias serão criados dentro do próprio governo federal, via ministérios da Educação e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, dirigidos por Abraham Weintraub e Damares Alves, respetivamente.

Extremismo

Alunos serão incentivados a denunciar professores que não sigam a "moral", a "religião" e a "ética" da "família" defendidas pelos chefes maiores do governo federal, tendo à frente o próprio Bolsonaro. Ou seja, quem não seguir o fundamentalismo religioso e o conservadorismo extremado do atual governo poderá ser punido. Após o anúncio, veja tipos de denúncias que poderão ser feitas.

Tipos de denúncias

Um docente pode, por exemplo, ser denunciado por defender em sala de aula o casamento gay ou um modelo de família que não seja baseado no formato tradicional, isto é, composto por homem, mulher e filhos. Também pode ser alvo de deduragem quem mostrar simpatia por religiões de matriz africana, como o Candomblé ou outras. Sobre esse último aspecto, a ministra Damares Alves declarou, segundo a matéria da Folha"O estado é laico, mas eu sou terrivelmente cristã."

Evitar críticas e chuva de denúncias

É óbvio que críticas a Bolsonaro também não serão bem vistas por alunos simpatizantes do capitão, uma vez que poderão ser qualificadas como "doutrinação" e "coisa da esquerda e do PT". Na verdade, o grande objetivo do projeto é exatamente evitar que os professores e os próprios alunos discutam e denunciem os abusos e erros do governo federal. Por isso, contra os mestres críticos ao governo podem chover denúncias nos canais da "polícia educacional" que o Planalto quer criar. Após o anúncio, veja a sanção aos estados e municípios que não punirem os professores que forem dedurados pelos alunos .

Barrar envio de verbas

De acordo também com a Folha, a ideia de Bolsonaro é barrar o envio de recursos federais para as redes de ensino de estados e municípios que não punirem os professores que forem denunciados por alunos. Isto pode incluir a parte financeira do Fundeb relativa ao governo federal ou qualquer outro tipo de verba oriunda de Brasília destinada às redes de ensino. É o Estado fascista avançando no País.

COMPARTILHE!

Acompanhe nossas redes sociais e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre Educação:

Mais recentes do site: