Governo pode alterar reajuste do Piso do Magistério 2020 para atender prefeitos e governadores!

Atualizado em 27 de dezembro de 2019, às 16:14.

Educação | Proposta da CNM é trocar índice de crescimento do custo-aluno pela inflação oficial do ano anterior.

COMPARTILHE!

Ministro da Educação Abraham Weintraub. É o MEC que define valor do piso todos os anos. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.
Ministro da Educação Abraham Weintraub. É o MEC que define valor do piso todos os anos. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil.

BLOG DO POVO | O governo Bolsonaro pode finalmente atender uma velha reivindicação de prefeitos e governadores e alterar a fórmula de reajuste do piso nacional do magistério. Proposta da Confederação Nacional de Municípios (CNM) é que, em vez de correção pelo mesmo índice de crescimento do custo-aluno, correção seja feita apenas pela inflação oficial do ano anterior, o que reduz bastante o valor do direito. Pela fórmula tradicional do MEC, previsão até agora é que o piso sofra reajuste de 12,84% em 2020, algo inclusive confirmado hoje, 27, pela própria CNM. Mas caso prevaleça desejo da entidade, índice deve cair para 3,46%, que é a inflação prevista para este ano, conforme relatório "Focus" divulgado dia 25/11 pelo Banco Central (BC). Continua, após o anúncio.

Leia também:

Criado em 2008 no governo Lula, piso do magistério teve maior reajuste em 2012, no governo Dilma Rousseff (PT), quando sofreu reajuste de 22,22%. Menor correção foi este ano, 4,17%. autorizado ainda pelo então presidente Michel Temer. Continua, após o anúncio.

Alerta

Educadores devem ficar em estado de alerta. Mesmo que se confirme o reajuste previsto pela fórmula do MEC de 12,84%, percentual ainda é muito pequeno. Portanto, não é possível aceitar nenhum índice menor que esse.

COMPARTILHE!

Acompanhe nossas redes sociais e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre Educação:

Mais recentes do site: