Com fim das deduções no Imposto de Renda, Bolsonaro aplica uma senhora facada na classe média!

Economia | Este ano já não mais será possível deduzir gastos com domésticos. E através da reforma tributária, governo quer acabar com as deduções relativas a despesas com saúde e educação.

Foto: Agência Brasil.
Foto: Agência Brasil.

BLOG DO POVO | O presidente Bolsonaro aplicou um duro golpe na classe média, setor inclusive onde ainda permanece com um bom apoio. Este ano não mais será possível para a pessoa física deduzir do Imposto de Renda gastos com empregados domésticos. 

Segundo o jornal Valor Econômico (14), o ministro da Economia Paulo Guedes afirmou recentemente que esse "privilégio" — criado no governo Lula — é "regressivo e ineficiente" e só favorece os "ricos". O capitão quer economizar neste 2020 R$ 700 milhões com essa facada em seus apoiadores. 

Até 2019, era possível abater gastos com domésticos até o limite de R$ 1,2 mil. O fim dessa política, segundo também o Valor Econômico, é o primeiro passo da política econômica de Paulo Guedes para acabar de vez com as deduções. Continua, após o anúncio.

Leia também:

Mais facada

Além da questão dos domésticos, o governo Bolsonaro quer acabar também com as deduções no Imposto de Renda relativas a despesas com saúde e educação. Ideia de Paulo Guedes é embutir tal medida no projeto de Reforma Tributária, prevista para ser encaminhada ao Congresso ainda em 2020. Informação está também no Valor Econômico.

Desemprego

Especialistas afirmam que o fim da dedução relativa aos domésticos trará como consequência desemprego em massa no setor. "O empregador, quando simular seu Imposto de Renda e perceber que pagará mais por conta da medida, demitirá imediatamente seu empregado", diz o economista Paulo Leitão, consultado pelo BLOG DO POVO.

É só fazer arminha que passa...

COMPARTILHE!

Acompanhe nossas redes sociais e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre Economia:

Mais recentes do site: