'Nova política' | Mourão despacha concurseiros e apenas comissionados serão contratados, diz porta-voz! Veja...

Vice Hamilton Mourão e o ministro da Justiça Sérgio Moro, durante solenidade em Brasília. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil.
Vice Hamilton Mourão e o ministro da Justiça Sérgio Moro, durante solenidade em Brasília. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil.

Eis a 'nova política' tão prometida por Jair Bolsonaro. Visa atender apenas os anseios dos aliados de plantão, como os que votaram contra a aposentadoria dos trabalhadores.

Categoria: ECONOMIA | O vice-presidente Hamilton Mourão jogou um balde de água fria nos concurseiros e disse ontem (15) no Rio que ninguém será contratado no governo federal nos próximos anos. Contratações mesmo só para cargos comissionados, conforme foi divulgado também ontem pelo porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, em coletiva de imprensa.

Mourão declarou, segundo sites da Agência Brasil e Estadão"Não vamos contratar ninguém pelos próximos anos. Vamos fazer uma diminuição do tamanho do Estado, de forma branda." A fala do vice-presidente reflete o Decreto 9.739/2019, editado por Jair Bolsonaro em março deste ano. Medida cria 14 empecilhos para autorização de novos concursos e prioriza terceirizados e serviço digital. Continua, após anúncio.

Publicidade

Comissionados

Em relação às contratações de comissionados, declarou o porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, conforme o site da Agência Brasil:

"Após a semana de votação da Nova Previdência, o ministro Luiz Eduardo [Ramos] se debruçará sobre os processo de indicação e dará continuidade ao trabalho executado, até então, pelo ministro Onyx Lorenzoni. O estudo desses processos de preenchimento de cargos tem como prioridade tornar a máquina pública mais eficiente, com menos burocracia e atendendo aos anseios de nós, brasileiros." Continua, após o anúncio.

Eis a 'nova política' tão prometida por Bolsonaro. Visa atender apenas os anseios dos brasileiros que estão no governo. E dos aliados de plantão, como os que votaram contra a aposentadoria dos trabalhadores.

Mais recentes: