Novo indício de lavagem de dinheiro público complica ainda mais Flávio Bolsonaro!

COMPARTILHE!

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil.
Foto: Wilson Dias/Agência Brasil.

Bozos / Processo apura compra de mobília com dinheiro vivo provavelmente oriundo de "rachadinha".

BLOG DO POVO / Investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro mostram que o senador Flávio Bolsonaro — filho do presidente Bolsonaro — está cada vez mais complicado em escândalos que envolvem desvios de dinheiro público através da prática de "rachadinha", ou seja, da devolução de dinheiro de assessores que atuavam em seu gabinete de deputado estadual na Alerj. Continua, após o anúncio.

Dinheiro vivo

Segundo matéria do Globo (28): 

"O Ministério Público do Rio (MP-RJ) apura um pagamento de R$ 30 mil feito pelo senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) em dinheiro vivo para ficar com a mobília do apartamento onde morava com a família até o início deste ano na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O imóvel foi comprado em 2014 pelo valor de R$ 2,55 milhões."

"O Globo diz ainda que "o pagamento em dinheiro vivo consta de um depoimento do proprietário anterior do imóvel ao MP revelado pelo jornal "Folha de S. Paulo" e confirmado pelo GLOBO. De acordo com o empresário David Macedo Neto, o senador fez dez depósitos de R$ 3 mil, entre outubro e novembro de 2014."

A suspeita é que o pagamento em dinheiro vivo tenha sido feito para tentar encobrir atividades ilícitas, como a prática de "rachadinha" e a lavagem de dinheiro público.

Flávio Bolsonaro tenta fugir

Flávio Bolsonaro, filho do presidente Bolsonaro, tenta de todas as formas fugir das investigações e implora a todo momento ao STF que suspenda o processo. Com isso, mostra que tem de fato culpa no cartório. 

COMPARTILHE!

Acompanhe nossas redes sociais e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre Bozos:

Mais recentes do site: