Veto | Secretário do Tesouro diz que não tem reajuste e que bons salários são prejudiciais aos servidores! Veja...

Para o governo Bolsonaro, os servidores públicos serão mais valorizados se ganharem menos. 

Categoria: Economia | Segundo matéria de hoje (17) do Globo, o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, defende uma nova política salarial para o funcionalismo público. Ao invés de reajuste, diminuição real do salário inicial de carreira e elevação do tempo de crescimento funcional. Para ele, o maior problema do país seriam os supostos ganhos salariais elevados que os servidores têm, algo que, segundo afirma, prejudica os próprios trabalhadores. Mansueto está no cargo desde o governo Temer e é um dos homens fortes da Economia do governo Bolsonaro. Continua, após o anúncio.

Diz o secretário:

"Não tem como escapar disso (salário mais baixo de entrada e progressão lenta). Quando você carrega muito salário de entrada, acaba prejudicando o servidor público. Ele entra, atinge muito rápido o nível máximo e perde o incentivo. Se entrar no serviço público novo, com 24, 25 anos, com certeza, aos 35, 40 anos, ele atinge o teto da carreira e fica dependendo de ter aumento salarial real. Até para ter um incentivo maior ao funcionário público [diminuir seu salário], você vai ter de modificar a estrutura de carreira [fazer com que ele cresça só quando estiver à beira da morte].

Em suma: na nova política do governo Bolsonaro para os servidores públicos, bons salários são prejudiciais aos servidores. Essa nova política, de fato, nenhum governo nunca teve mesmo coragem de defender.

Mais recentes: