Trabalho intermitente cresce, mas trabalhador não ganha sequer um salário mínimo!

COMPARTILHE!

Foto: Agência Brasil.
Foto: Agência Brasil.

Economia / Férias, salário e 13º são proporcionais aos dias trabalhados. Um grande retrocesso para quem consegue um emprego.

BlOG DO POVO / Aprovada em 2017, após o golpe que afastou a presidenta Dilma (PT) e alçou ao poder o golpista Michel Temer, a Reforma Trabalhista já começou a fazer suas vítimas. Segundo matéria do Globo (30), o trabalho intermitente cresceu 70% em um ano. Por trabalho intermitente, entenda-se: é aquele onde o trabalhador não ganha sequer um salário mínimo, férias de 30 dias ou 13º salário integral e não tem qualquer estabilidade. Um grande retrocesso para quem consegue um emprego. Para o governo Bolsonaro, no entanto, isto é sinal de "recuperação" da economia.

Leia também:

Sem perspectivas

Depoimentos de trabalhadores no País inteiro mostram que o trabalho intermitente não traz perspectivas de vida e futuro melhor, pois não garante sequer um salário mínimo por mês.

"Vou porque é o jeito, mas o que eu queria mesmo era voltar a trabalhar com carteira assinada e os direitos trabalhistas de antes", diz o piauiense Carlos Cezar, que trabalha duas vezes por semana e afirma que ao fim do mês ganha pouco mais de R$ 300,00.

"Sinto-me frustrada nesse tipo de trabalho, pois não tem garantias e nem um salário mínimo por mês. É um bico legalizado", declara a paulista Soraya Menezes, que trabalha numa rede de supermercados.

Como estes, centenas de milhares estão assim. Enquanto isso, os lucros dos grandes patrões só aumentam.

COMPARTILHE!

Acompanhe nossas redes sociais e receba atualizações sobre este e outros temas!

Mais recentes sobre Economia:

Mais recentes do site: